Depois de 31 anos R.E.M. resolve parar

023]REM_82(imagem: http://clipestesia.com.br)

Porca miséria, infelizmente o R.E.M., um dos melhores grupos de rock anunciou ontem a sua dissolução. São muitas as músicas do R.E.M. que aprecio, mas este post não é uma ‘playlist’ para elaborar um ranking, mas cito ‘It’s the End of the World as We Know It (And I Feel Fine)’ por sua batida vigorosa e acelerada e letra com um sentido profundamente crítico, também a atual conjuntura mundial, me forneceu a ‘deixa’ para colocar o vídeo com essa música. Creio que você aprecie tanto quanto eu. Continue reading/Continue lendo

O início de um tempo de horrores

023]11Set2001O espanto e horror no rosto de todos (foto: Jennifer S. Altman/WireImage-Life)

Não é que espanto e horror nunca tenham acontecido antes na história da humanidade, mas os atentados terroristas praticamente simultâneos de 11 de setembro de 2001, especialmente o que resultou na destruição das torres gêmeas do World Trade Center, em Nova York,  de pronto se tornaram no acontecimento ícone dos tempos que seguiram, tempos estes que ainda vivemos.

Não vou adentrar neste post no quanto tenho de dúvidas quanto à real autoria ou motivação dos atentados, mas adianto a vocês que tenho uma certa consideração pelos que veem no episódio mais um evento de ‘Operação de bandeira falsa’ , o que não seria um fato inédito, até aqui no Brasil já tivemos ao menos um exemplo, o famoso ‘Plano Cohen’. Fato é que Bush filho, havia sido eleito presidente dos Estados Unidos poucos meses antes em circunstância que diremos generosamente, ‘discutível’, até a ocasião dos atentados, Bush carregava o fardo de um mandato de legitimidade contestada e altos índices de impopularidade. Depois do 11 de setembro, tudo mudou.

Por tudo quanto tem acontecido, vejo-me obrigado a tomar emprestado de J. K. Galbraith o título de seu livro. Sim, estamos a viver mais do que nunca, uma Era da incerteza.

Depois de quando muitos se ufanavam que com o colapso da União Soviética e da ameaça comunista certamente teríamos um mundo mais seguro e provavelmente mais próspero, o que realmente temos? Um mundo muito, muito mais inseguro, quando já não sabemos de onde poderá vir o ataque, pois nem bem conhecemos nossos inimigos. Em termos econômicos, estamos a viver endemicamente as crises, mal saímos de uma (quando saímos..) já estamos em outra.

Muitos pregam que o Capitalismo parece obter com suas crises a força que precisa para se reciclar, ou mesmo se reinventar, mas isto não me parece racional, muito menos, verdadeiro.