Depois de 31 anos R.E.M. resolve parar

023]REM_82(imagem: http://clipestesia.com.br)

Porca miséria, infelizmente o R.E.M., um dos melhores grupos de rock anunciou ontem a sua dissolução. São muitas as músicas do R.E.M. que aprecio, mas este post não é uma ‘playlist’ para elaborar um ranking, mas cito ‘It’s the End of the World as We Know It (And I Feel Fine)’ por sua batida vigorosa e acelerada e letra com um sentido profundamente crítico, também a atual conjuntura mundial, me forneceu a ‘deixa’ para colocar o vídeo com essa música. Creio que você aprecie tanto quanto eu. Continue reading/Continue lendo

Maldito patrulhamento

023nissan_poneis_malditos_10(imagem: http://quiosquedeideias.com.br)

Assim não dá. O CONAR (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) acolheu denúncias de pessoas ou entidades que entenderam ser o comercial da Nissan para a sua pick-up ‘Frontier’ ofensivo, e abrirá processo para investigar se tais denúncias procedem.

Está certo que deve existir uma regulamentação, uma fiscalização, está certo também que o CONAR deve ser sensível às queixas do público, mas ‘pera aí’, já está começando a ficar um ‘pé no saco’ este patrulhamento ‘politicamente correto’.

A culpa não é do CONAR, mas sim de uma sociedade a pretexto de um ‘mundo cor de rosa’, está cada dia mais mal humorada, cada dia mais sem ‘fairplay’, mais repressora e hipócrita.

Malditos hipócritas!

Continue reading/Continue lendo

Débitocracia ou de como levar um país à bancarrota

020athens-syntagma-greece--007Distúrbios na Praça Syntagma contra o pacote imposto à Grécia(imagem:http://www.guardian.co.uk/)

Trago este documentário grego que desvela a crise econômico-social pela qual passam os países periféricos da União Europeia, focalizando especialmente a situação da Grécia.

Continue reading/Continue lendo

Qual o medo que lhe dá?

julietaelenine

Tenho comigo que esta é uma bela música. A letra, um primor de poema que nos induz a uma reflexão dos nossos próprios medos, de nossas próprias hesitações. Afinal está no poema: o medo é a medida da nossa indecisão.

Quanto à interpretação do Lenine (aliás, dos que conheço, o único Lenine pelo qual tenho simpatia!)  e da encantadora mexicana Julieta Venegas (como esta gracinha me lembra a Salma Hayek!) só posso dizer que estão em um momento absolutamente irrepreensível, marcante.

Desde que ouvi pela primeira vez, a coloquei nos ‘bookmarks’ da minha mente.

Espero que apreciem este belíssimo momento!

Continue reading/Continue lendo

Em tempos bicudos, até os bichos dominam outra língua!

Per la Madonna! Que os tempos estão de ‘vaca não reconhecer os seus bezerros’ todos sabemos.

Até mesmo os outros animais já perceberam que para tentar se virar nos tempos bicudos de nossos dias há que se dominar mais de um idioma, entre outras providências.

É… a globalização já chegou até aos outros bichos!

Veja:

Eduardo e Mônica 2.0: Vivo revisita uma história de amor dos nossos tempos

015Eduardo-Mônica-vivo(imagem: Vivo/divulgação)

 

Eis aí uma grande sacada! Para atender a Vivo, com vistas ao dia dos Namorados (12 de junho), a Africa criou uma das mais belas peças publicitárias que eu possa me lembrar.

A campanha ganha as ruas hoje. Quem de nós, com pelo menos os seus 30 anos não recorda da – ao mesmo tempo que despretensiosa, deliciosa – música ‘Eduardo e Mônica’ cantada pelo Legião Urbana? Uma história de amor, bem humorada, que nos conta as peripécias de um casal, que ao contrário do que faz pensar o senso comum, dá certo. Continue reading/Continue lendo

Dilma: Dá para acreditar no que ela diz?

O vídeo abaixo apresenta alguns dos melhores momentos da ‘camarada’ Dilma Rousseff, mostrando por que nós devemos confiar nela e nas recomendações emanadas pela proverbial sabedoria do ‘Genial Guia do Povo Brasileiro’ sua Molusquicidade Lula I,  O Apedeuta e tomara que único!

Assista ao vídeo, e se quiser comente…

 

 

.

Até mesmo na Suíça, o ‘burocratiquês’ deixa qualquer um louco!

A burocracia é capaz de nos seus relatórios, pareceres e o que mais que possa sair dela (quando sai…), utilizar um linguajar muitas vezes excessivamente técnico, empolado e que beira ao hermético. São textos elaborados de tal maneira que parecem já terem sido produzidos diretamente criptografados.

Desta vez ela atacou no texto em que o ministro das Finanças da Suíça, Hans-Rudolf Merz discursou no Parlamento a respeito de uma nova legislação para a importação de carnes temperadas.

A linguagem burocrática do texto ‘pegou pesado’. Nem o ministro conseguiu levá-la a sério, o que contagiou o plenário.

O vídeo tem sido um dos mais acessados dos últimos dias no You Tube.

Veja: